21.3 C
Catanduva
terça-feira, abril 16, 2024
spot_img
InícioCatanduvaComo a unitarização e a rastreabilidade promovem mais segurança ao paciente na...

Como a unitarização e a rastreabilidade promovem mais segurança ao paciente na Gestão de Logística Hospitalar

O Hospital Unimed São Domingos (HUSD), reativou em seu almoxarifado, uma máquina unitarizadora de medicamentos da OPUSPAC chamada OPUS 30X que estava inoperante desde 2017. Em novembro de 2023 foi realizado a manutenção preventiva e treinamento de manuseio com a equipe operacional.

A unitarização de doses em serviços de saúde é um procedimento realizado sob responsabilidade e orientação do farmacêutico, que consiste na subdivisão da embalagem primária do medicamento em frações menores, a partir da sua embalagem original, mantendo os seus dados de identificação e qualidade. A prática é envolvida em dois principais processos: embalagem e impressão da etiqueta ou embalagem unitária.

O objetivo da reativação da máquina é operar melhorias no sistema de gestão de logística hospitalar, para estabelecer uma operação coordenada e integrada, garantindo o funcionamento preciso e sincronizado de todos os componentes do processo operacional, desde a gestão adequada dos medicamentos e demais insumos – envolvendo a correta armazenagem, estocagem, solicitação de compras, recebimento e conferência dos produtos – até o rastreamento e monitoramento dos produtos, desde sua origem, até o destino final.

“A rastreabilidade no âmbito hospitalar, com um foco mais peculiar, é a capacidade do hospital em monitorar o recebimento, distribuição, dispensação e administração mantendo-se o controle sobre lote e validade dos medicamentos e demais insumos nestes processos”, enfatizou Lívia Machado, Coordenadora do Almoxarifado no HUSD.

Além da OPUS 30X, o HUSD adquiriu uma nova câmara de refrigeração da marca Indrel, modelo RVV 2000D, para o armazenamento de medicamentos termolábeis. As substâncias termolábeis são produtos sensíveis a grandes variações de temperatura, que devem ser armazenadas de acordo com a faixa de temperatura informada pela indústria farmacêutica.

Boas práticas de armazenagem de medicamentos termolábeis são imprescindíveis à manutenção da qualidade, duração e, portanto, eficácia destes produtos farmacêuticos sensíveis. Para isso, é preciso seguir alguns caminhos e tomar as medidas que a RDC 430 determina. A RDC 430/2020 retrata: “Cadeia de frio ou rede de frio: processo englobado pelas atividades de armazenagem, conservação, manuseio, distribuição e transporte dos produtos sensíveis à temperatura” (Seção III – Definições, Art. 3º, parágrafo VI).  Na prática, isso quer dizer que os medicamentos termolábeis devem ser submetidos a uma condição especial de recebimento e armazenagem, em ambiente refrigerado, para que as suas características sejam mantidas.

No HUSD, a segurança do paciente está no centro de todos os processos. As mudanças adotadas sugerem que os danos sejam minimizados, evitando possíveis erros na administração de medicamentos e garantindo a procedência e integridade dos produtos utilizados, o que é essencial para a segurança do paciente no ambiente hospitalar.

Marcia Bernardes
Marcia Bernardeshttps://ftnews.com.br
Jornalista, 20 anos de experiência, tendo passado por diversas redações de mídia impressa em Catanduva e São José do Rio Preto. Atuou nos principais veículos do Noroeste Paulista, incluindo o jornal Diário da Região. Jornalista de formação, designer por amor.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

POSTS POPULARES