19.5 C
Catanduva
domingo, março 3, 2024
spot_img
InícioCulturaMostra Cênica Resistências retoma presencial com espetáculos de teatro e dança, performances,...

Mostra Cênica Resistências retoma presencial com espetáculos de teatro e dança, performances, shows e saraus

De 1 a 5 de novembro, acontece em São José do Rio Preto e região a 5ª Mostra Cênica Resistências, que em 2022 retoma o formato presencial e oferece 12 espetáculos de teatro adulto e infantil e dança, quatro performances, sete shows, sarau itinerante e sarau musical, intervenção audiovisual, além de seis atividades formativas e reflexivas e feira feminista de economia criativa e solidária. Participam artistas e coletivos das cidades de São José do Rio Preto, Ibirá, Potirendaba, Araçatuba, Votuporanga, Palestina, São Paulo e Rio de Janeiro.

O objetivo do evento idealizado e realizado pelo coletivo Cênica é fomentar a difusão das artes e criar um espaço de encontros, trocas e reflexões. Nesta edição, o principal palco será a Praça das Rosas, no Jardim dos Seixas, perto de sua sede, com todas as atividades gratuitas, recebendo a maior parte das apresentações artísticas e a feira. Entre as atrações que o espaço recebe está o espetáculo de abertura, “Riobaldo” (Rio de Janeiro), a partir do romance “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa, adaptado e interpretado por Gilson de Barros, com direção de Amir Haddad, terça, 2 de novembro, 20 horas. O trabalho traz um recorte que ilumina a importância dos amores do ex-jagunço que dá nome à peça, com três pessoas que determinaram sua trajetória, Diadorim, Nhorinhá e Otacília. Ao rememorar, Riobaldo reflete sobre questões que extrapolam o sertão e caracterizam a própria dialética das travessias do homem humano.

Na Praça das Rosas, também serão apresentados, sempre às 20 horas, os espetáculos “Mazzaropi – um certo sonhador”, da Cia. Arte das Águas (Ibirá), na quarta, 2, que traz uma trupe ambulante cantando a vida e a obra do eternizado artista popular Amácio Mazzaropi; e “Rastrum”, da KD Cia de Dança (Potirendaba), na quinta, 3, que busca revelar o percurso das próprias escolhas através do corpo. Já no sábado, quando a programação começa mais cedo no local, às 16h30, a Cia. Território da Dança (S.J. Rio Preto) apresenta “Corpo Território”.

Já “Paubrasília”, da c.i.a.3 (Araçatuba), ocupa na sexta, 4, a Sede Cênica, às 20 horas, com distribuição de senhas no local 1h antes, levantando temáticas que retratam a relação da sociedade com o lixo e a experienciação vivida por aqueles que vivem à margem. E a peça de encerramento, “AMÉFRICA: Em Três Atos”, do Coletivo Legítima Defesa (São Paulo), será apresentada no sábado, 5, 20h, no Sesc Rio Preto, com ingressos a R$ 9 (credencial plena), R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira). Com direção de Eugenio Lima e dramaturgia de Claudia Schapira (Ato 1), Aldri Anunciação (Ato 2) e Dione Carlos (Ato 3), o trabalho trata das trajetórias negras e indígenas a partir de seus próprios legados, trazendo à tona narrativas soterradas pela herança colonial.

A programação também conta com dois espetáculos e um experimento teatral orientados pelo Programa de Qualificação em Artes, na quarta: o infantil “Flashes, recortes e retalhos”, da Cia. Entre Palcos (Palestina); “Aquilo que não me cabe”, da Cia. Beradeiro (S.J. Rio Preto) ; e “Quem vai descer no poço?”, do Coletivo Terceiro Ato (Votuporanga).

Sempre após as apresentações, acontece a ação reflexiva “Apreciação Poética”, em que a atriz, pesquisadora e diretora teatral Fabiana Monsalú compartilha de modo breve seus primeiros olhares sobre os trabalhos.

Ocupação regional

Pela primeira vez, além de São José do Rio Preto, a edição se estende à região, levando espetáculos infantis e um sarau musical gratuitos para as cidades de Mirassolândia, Bady Bassitt, Bálsamo e Ibirá. Na quinta, Mirassolândia recebe “O mistério do menino invisível”, com Andrea Capelli e Murilo Gussi (S.J. Rio Preto), e Bady Bassitt, “O menino e o mundo”, da Minha Nossa Companhia (S.J. Rio Preto). Já na sexta, em Bálsamo, tem o sarau musical “Versos de quarentena”, com Duo Passarim (S.J. Rio Preto) e a peça “Memórias de Machadinho”, da Cia. Bardos de Teatro (S.J. Rio Preto) em Ibirá.

Formativas

As ações formativas da Mostra Cênica Resistências são todas gratuitas e sem necessidade de inscrição prévia. A maioria delas acontece no Senac Rio Preto. Entre as atividades, estão a oficina “A interpretação narrativa no processo de criação teatral”, em que o ator Gilson de Barros apresenta seu processo de trabalho com o mestre Amir Haddad na investigação de “Grande Sertão: Veredas”, sexta, 14 horas; e a roda de conversa “Confluência na retomada”, com o diretor Eugenio Lima, sobre as matrizes conceituais, poéticas e políticas da pesquisa do espetáculo “AMÉFRICA”.

Ponto de encontro

A Praça das Rosas será ainda o Ponto de Encontro da Mostra Cênica. Em todas as noites, a programação será encerrada por shows musicais no Palco Alternativo, nome em homenagem ao Cursinho Alternativo, local que recebeu edições anteriores do evento. Passarão por lá a jam “Danças urbanas: sem rótulos”, com DJs Ricka e Lu Pequim e MC Raffa Beat Squad; o show “Magia Negra ao vivo”, do duo Magia Negra; “Rosa Choque”, com Márcia Morelli; “Psicorange – Meta morfosis”, com Psicorange; e “Do nosso jeitão”, com Axé Dona Encrenca (banda composta por Jaqueline Cardoso, Bruce Lima, Duda Neto e Kauê Rocha). O palco também terá um DJ residente, Harlen Felix.

Antes dos shows, o público poderá acompanhar a programação de performances, sempre às 21h30, de terça a sexta, na sequência a seguir: “Quero ser branca” (Companhia OBS, Araçatuba); “Movimento afeto – fragmento 1” (Mayk Ricardo e Mayara Isis, S.J. Rio Preto); “Frida” (Vanessa Cornélio, S.J. Rio Preto); e “Gaia com Brasil” (Gaia do Brasil, S.J. Rio Preto).

Sobre a Mostra

Projeto de difusão artístico-cultural criado pela Cênica, coletivo teatral fundado em 2017 em São José do Rio Preto, a Mostra Cênica foi realizada pela primeira vez em março de 2014 com a apresentação dos cinco espetáculos que até então compunham o seu repertório. A segunda edição, em 2017 – quando diante da conjuntura sócio-política brasileira “resistências” tornou-se tema mobilizador -, e a terceira, em 2019, ocuparam vários espaços da cidade, oferecendo apresentações gratuitas em múltiplas linguagens artísticas, ações formativas e um bar cultural. Já a quarta edição, em 2021, com a parceria de quatro coletivos rio-pretenses, foi marcada por apresentações e intervenções 100% online de 10 estados brasileiros, ações formativas e reflexivas e a feira de economia feminista, criativa e solidária.

A realização da edição 2021 da Mostra Cênica Resistências tem a parceria do Sesc Rio Preto, Senac, Poiesis/PQA – Programa de Qualificação em Artes, Colégio Criarte. O projeto foi contemplado no Edital 20/2020 – “Realização de mostras, festivais, mercados, premiações, feiras, festas populares/tradicionais e eventos culturais, incluindo online no Estado de São Paulo”, do ProAC – Programa de Ação Cultural, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

SERVIÇO:

5ª Mostra Cênica Resistências

De 1 a 5 de novembro de 2022

Realização: Cênica, através do ProAC – Programa de Ação Cultural, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Programação completa: www.cenica.com.br/mostra-cenica

Gratuito*

*Exceto espetáculo “AMÉFRICA: Em Três Atos”, com ingresso a R$ 9 (credencial plena), R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira), à venda em www.sescsp.org.br e unidades do Sesc SP.

Informações à imprensa:

Graziela Delalibera

(17) 99114-1343

PROGRAMAÇÃO DIÁRIA:

TERÇA – 01/11

11h e 14h – SARAU ITINERANTE: FALA PRETA – Christina Martins e David Balt (S.J. Rio Preto)

Praça Rui Barbosa. 30 minutos cada sessão. Grátis. Livre.

Sinopse: Através de andanças faladas, o Fala Preta – Sarau Itinerante celebra, pelo viés da ancestralidade, as vozes de poetas que compõem a literatura/escrevivência preta brasileira. Rememorando autores como Heloísa Luanda, Conceição Evaristo, Carolina Maria de Jesus, Bixarte, Ivan Reis e outros grandes nomes que cultivam a poesia do sarau e slam, sementes pretas são plantadas em cada terreno fértil de quem escuta.

19h – FEIRA DAS ROSAS – ECONOMIA FEMINISTA, CRIATIVA E SOLIDÁRIA – Coletivo Primavera nos Dentes (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. Grátis. Livre.

Sinopse: A economia criativa e solidária sugere um trabalho coletivo, presente também nas relações entre as pessoas, que valoriza o produto local, produzido de forma justa e com respeito ao meio ambiente. Esta é uma feira de saberes, produtos, serviços e sabores, um espaço para a troca que tem a proposta de abordar e fortalecer a economia criativa e a rede entre pessoas que sofrem com a violência de gênero, contribuindo para seu empoderamento econômico e político.

20h – ESPETÁCULO: RIOBALDO – Gilson de Barros (RJ)

Praça das Rosas. 65 minutos. Grátis. 16 anos.

Sinopse: Personagem central do romance Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, o ex-jagunço Riobaldo relembra seus três grandes amores: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. O incompreendido amor homossexual por Diadorim, o amigo que lhe apresentou a vida de jagunço e lhe abriu as portas do conhecimento da natureza e do humano, levando-o ao pacto fáustico; o amor carnal e sem julgamentos pela prostituta Nhorinhá; e o amor purificador por Otacília, a esposa, que o resgatou do pacto fáustico e o converteu num homem de bem.

Ficha técnica: Texto a partir do livro “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa | Adaptação e atuação: Gilson de Barros | Direção: Amir Haddad | Cenário e figurinos: Karlla de Luca | Iluminação: Aurélio de Simoni | Programação visual: Guilherme Rocha e Mikey Vieira | Fotos e vídeos: Renato Mangolin | Técnicos: Mikey Vieira | Produção: Barros Produções Artísticas Ltda. | Mídias Sociais: Fernanda Nicolis | Assessoria de Imprensa: Júlio Luz

Após espetáculo – APRECIAÇÃO POÉTICA, com Fabiana Monsalú (SP)

A atriz, pesquisadora e diretora teatral Fabiana Monsalú compartilha de modo breve seus primeiros olhares sobre espetáculos de teatro e dança apresentados durante a Mostra Cênica Resistências. A proposta é contribuir para que artistas e coletivos reflitam sobre suas criações. A ação acontece imediatamente após as sessões.

Fabiana Monsalú é doutoranda em estudos artísticos teatrais e performativos na Universidade de Coimbra – Portugal. Mestre em artes cênicas pela USP e licenciada em teatro pela UFBA. Atriz, diretora artística e fundadora da CompanhiaDaNãoFicção (SP). Criadora do Método TCH no Brasil e autora, entre outras publicações, do livro “O Corpo Híbrido do Ator: do treinamento à organicidade para outras possibilidades da cena”.

21h30 – PERFORMANCE: QUERO SER BRANCA – Companhia OBS (Araçatuba)

Praça das Rosas. 30 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Com quantos traumas se faz um corpo estigmatizado? O que a sociedade é capaz de induzir a fazer para alcançar a aceitação? Com quanta exposição se vende um corpo? Com quanta submissão se faz comprada? O árduo trabalho social em moldar e uniformizar seus indivíduos atravessa o corpo da artista e vazam junto com perturbações e incômodos que ultrapassam o tempo, a cultura e o espaço. Usa a arte para exibir as revoltas e transtornos, a personificação dos aspectos que a sociedade branca ainda reprime. A não escuta e a não percepção distorcidas no olhar. Se um corpo é múltiplo, o espaço a ser ocupado não deve ser limitado.

Ficha técnica:

Dramaturgia: Denise Vaz e Gabriela Reis | Provocação: Caique Teruel e Denise Vaz | Performer: Gabriela Reis | Sonoplastia: Caique Teruel e Pedro Böor

22h – JAM: DANÇAS URBANAS: SEM RÓTULOS – DJs Ricka e Lu Pequim + MC Raffa Beat Squad (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo). Grátis. Livre.

Sinopse: O MC conduz a atividade acompanhado de DJ, que, por sua vez, dá o tom musical à manifestação. Um reportório diversificado faz com que todos e todas tenham contato com a cultura hip hop através dos seus elementos, dando destaque para a dança Breaking, sem compromisso, sem preconceitos e sem rótulos.

DJ RESIDENTE Harlen Felix (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo).

DJ Set de festas e espaços que reúnem a galera criativa de Rio Preto e região, Harlen Felix se define como um curador musical, aquele que tem a missão de conectar as pessoas por meio da música. Reverenciando o que há de mais popular e atemporal da música brasileira, ele levanta o público e põe todo mundo para dançar com sets criados exclusivamente para cada ocasião.

QUARTA – 02/11

9h – OFICINA: DESPERTAR EM DANÇA – Vanessa Cornélio

Sede Cênica. 60 minutos. Grátis, sem necessidade de inscrição. 16 anos (menores acompanhados de responsável).

Sinopse da atividade: Oficina de consciência corporal que irá oferecer estímulos para que cada pessoa reconheça a dança existente em seu corpo. Terá dinâmica e harmonia entre os participantes, na busca, investigação e ampliação de auto-conceitos do corpo que dança e conceitos de multidimensionalidade a nível da presença e expansão meditativa a partir de estímulos sensoriais, e a música encontrada em aspectos como o pulsar do coração, da respiração, associados aos ruídos externos percebidos e trazidos para a consciência corpórea.

Vanessa Cornélio é diretora e performer no núcleo Asa de Borboleta Performance Art, atriz e produtora. Pesquisa o corpo cênico performativo e a relação com o corpo com deficiência, é cadeirante. Com o Asa de Borboleta Performance Art recebeu os prêmios de Arte e Inclusão, oferecido pela Abaçaí Cultura e Arte e Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência em 2018, e o Prêmio Nelson Seixas, pela Secretaria de Cultura de São José do Rio Preto, em 2017, 2019, 2021 e 2022. Coordenou diversas oficinas.

11h e 14h – SARAU ITINERANTE: FALA PRETA – Geovanna Leite e Ícaro Negroni (S.J. Rio Preto)

Sesc Rio Preto. 30 minutos cada sessão. Grátis. Livre.

11h – ESPETÁCULO INFANTIL (RECORTE PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES): FLASHES, RECORTES E RETALHOS – Cia. Entre Palcos (Palestina)

Sede Cênica. 45 minutos. Grátis. 10 anos.

Sinopse: E se seu passado batesse à sua porta e convidasse para uma apresentação inesquecível em um circo formado por sombras? O espetáculo traz em suas entrelinhas a fantasia e a realidade, onde as lembranças sobem ao picadeiro do Circoluz, um circo feito de sombras do passado em que todos os protagonistas dos recortes têm a experiência de ser Ofélia, a doce idosa que apresenta suas sombras como forma de encantar o respeitável público, porque a vida é uma grande valsa que vale a pena ser dançada no grande baile que é a eternidade.

Ficha técnica: Autores: Nima Martines e Odilon Júnior | Direção: Marcos Calegari | Direção de arte: Marcos Calegari | Elenco: Clévio Augusto (Palhaço), Luana Pereira (Contorcionista), Lúcia Helena (Equilibrista), Marcello Théo (Homem Fera), Nima Martines (Menina) e Odilon Júnior (Apresentador/Mágico) | Iluminação e sonoplastia: João Luiz Costa | Música: Nima Martines e Odilon Júnior | Arranjo: Fabrício Martines | Orientação Programa Qualificação em Artes: Marcos Calegari | Produção: Cia Entre Palcos

14h – EXPERIMENTO CÊNICO (RECORTE PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES): AQUILO QUE NÃO ME CABE – Cia. Beradeiro (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. 15 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: A mala que eu carrego tem medo

Eu abro

Venta

Ventania

Venta constância de vida

Eu molho

Eu me molho

Eu te molho

Vem, se aproxima

Arranca esse frio daí.

O experimento cênico revela, em sua primeira abertura de processo, o universo paralelo e permeante da nossa memória, de nossas histórias lembradas ou não, dos silêncios e dos gritos carregados em nosso peito que, em prontidão, atravessam a linearidade do tempo e chegam aqui, neste espaço, no presente, no agora.

Ficha técnica: Direção e criação: Fabiano Amigucci e Fagner Rodrigues | Elenco e criação dramatúrgica: Andrea Capelli, Christina Martins, David Balt, Deivison Miranda, Giovana de Paula, Jéssica Paladino e Su Mayê | Orientação Programa Qualificação em Artes e criação: Jhoão Junnior | Produção: Cia. Beradeiro

15h – ESPETÁCULO (RECORTE PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES): QUEM VAI DESCER NO POÇO? – Coletivo Terceiro Ato (Votuporanga)

Sede Cênica. 60 minutos. Grátis. 14 anos.

Sinopse: Baseado em uma experiência real de Matéi Visniec, “Com os Bolsos Cheios de Pão”. Em um vilarejo, um cachorro vivo foi jogado dentro de um poço. Latidos ecoam pelos arredores, até dois homens o encontrarem. Bengala e Chapéu discutem as várias possibilidades para retirar o cachorro do fundo do poço, porém não chegam ao consenso. O tempo passa e nenhuma atitude efetiva é tomada.

Ficha técnica: Elenco: Dênis Figueiredo e João Teixeira | Direção: Esmeraldina Reis | Figurinos, desenho de iluminação e efeitos sonoros: Coletivo Terceiro Ato | Orientação Programa Qualificação em Artes: Adailton Anjos

16h – APRECIAÇÃO POÉTICA do Recorte Programa de Qualificação em Artes, com Fabiana Monsalú (SP)

Sede Cênica. Grátis.

19h – FEIRA DAS ROSAS – ECONOMIA FEMINISTA, CRIATIVA E SOLIDÁRIA – Coletivo Primavera nos Dentes (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. Grátis. Livre.

20h – ESPETÁCULO: MAZZAROPI – UM CERTO SONHADOR – Cia. Arte das Águas (Ibirá)

Praça das Rosas. 90 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Uma trupe ambulante chega cantando a vida e a obra do eternizado artista popular Amácio Mazzaropi. Ao deparar-se com a história, encontram-se a si mesmos. Este ir e vir entre a vida do artista e a realidade dos atores traz à cena um jogo poético, cantado, arrebatado e arrebatador que leva a conhecer o artista consagrado, mas principalmente o artista adormecido em cada um de nós.

Ficha técnica: Ideia original: Antonio Bucca | Dramaturgia: Antonio Bucca e Clara Roncati, a partir de pesquisa do grupo | Direção: Fabiano Amigucci | Codireção: Antonio Bucca | Direção musical: José Maria Guirado | Composições inéditas: letras – Antonio Bucca e Laísa Anselmi; músicas – O grupo | Preparação vocal: Ana Paula Mendonça e Elaine Matsumori | Figurinos e adereços: Ivani Cardoso e Léo Bauab | Cenografia: Léo Bauab | Cenotécnico: Marcel Barbarotti | Iluminação: Fabiano Amigucci | Elenco: Antonio Bucca, Laisa Anselmi, Rian Gimenes e Victor Castioni | Músico: Ricardo Moisés / Diego Guirado | Gênero: musical caipira | Tema: Vida e Obra do Artista Amácio Mazzaropi

Após espetáculo – APRECIAÇÃO POÉTICA, com Fabiana Monsalú (SP)

21h30 – PERFORMANCE: MOVIMENTO AFETO – FRAGMENTO 1 – Mayk Ricardo e Mayara Isis (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. 20 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: A performance investiga os afetos e afetividades entre pessoas pretas e os transforma em movimento. Poesia e dança se misturam num campo imersivo de experiências compartilhadas e seus desdobramentos. Pelo desejo de estar junto, sair de si e encontrar o outro, produzir diferenças, saberes, modos de estar, desemaranhar nós, potencializar vidas.

Ficha Técnica: Concepção e direção: Mayk Santos, com provocação de Mayara Ísis | Performance: Mayk Santos e Mayara Isis | Textos: Mayara Ísis (com trechos de Paul Preciado)

22h – SHOW: MAGIA NEGRA AO VIVO – Magia Negra (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo). 60 minutos. Grátis. 12 anos.

Sinopse: Magia Negra é o encontro entre a poesia e a ancestralidade preta que tentaram nos negar. É a potência de nossas vozes ecoada aos quatro cantos, para que nunca se esqueçam de quem fomos e de quem somos. No ritmo da poesia cantada dos intérpretes e músicos da banda, o duo trás mensagens que surgem a partir das vivências de Diego Neves e Lucca Lourenço acerca de consciência racial, sexualidade, relacionamentos e seus convívios sociais. Este show autoral de Black Music, consiste em valorizar a música e os artistas negros, contendo um vasto repertório de referências e sonoridades da música, afro, funk, hip hop, R&B e entre outros.

Ficha técnica:

Voz e composição: Diego Neves e Lucca Lourenço | Percussão: Cairo Francisco | Teclado: Anderson Oliveira | Baixo: Nesk Beatz | Produção: Su Mayê

DJ RESIDENTE Harlen Felix (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo).

QUINTA – 03/11

10h – ESPETÁCULO INFANTIL (OCUPAÇÃO REGIONAL): O MISTÉRIO DO MENINO INVISÍVEL – Andrea Capelli e Murilo Gussi (S.J. Rio Preto)

Projeto Ativação do Futuro – Mirassolândia. 35 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Desde que a obra “Fábula Urbana”, de José Resende Jr., chegou aos atuantes, estabeleceu-se o encantamento. A fábula, que nos tira da zona de conforto e nos faz perceber a realidade absurda em que vivemos, é apresentada a partir de uma estética de história em quadrinhos. A dupla assume os olhos de duas crianças, Bilu e o irmão, que estão na rua e procuram o menino da camiseta desbotada, visto pela última vez na noite anterior. Trata-se de uma criança pedinte, frente a um homem de terno, em um shopping. -“Ei, tio! Me paga um livro?” É a partir deste pedido inusitado que se inicia essa história transformada em mistério, que nos provoca profunda reflexão sobre valores, certezas e preconceitos.

Ficha técnica: Intérpretes criadores: Andrea Capelli e Murilo Gussi | Operação de som: Larissa Macena

10h – ESPETÁCULO INFANTIL (OCUPAÇÃO REGIONAL): O MENINO E O MUNDO – Minha Nossa Companhia (S.J. Rio Preto)

Fundo Social “Marta Vieira” – Bady Bassitt. 45 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Era uma vez um menino e o mundo

Um menino da cor do oceano profundo

Espia o caminho

Que caminha o menino

Um caminho de espinho

Do menino azul

Um menino azul sozinho.

Cruzando um looongo rio profundo com o seu barquinho, um Menino Azul com uma flor amarela faz descobertas sobre amizade, relações, medos e o nosso lugar no mundo, enquanto a correnteza, hora calma, hora agitada, traz para a cena a poesia de Cecília Meireles, que carrega o menino em sua aventura atrás do seu amigo Burro.

Ficha técnica: Direção: Fabiano Amigucci | Elenco: Deivison Miranda e Su Mayê | Adaptação, produção e realização: Minha Nossa Companhia

11h – SARAU ITINERANTE: FALA PRETA – Christina Martins e Geovanna Leite (S.J. Rio Preto)

Senac Rio Preto. 30 minutos. Grátis. Livre.

14h – SARAU ITINERANTE: FALA PRETA – Christina Martins e Geovanna Leite (S.J. Rio Preto)

Centro de Convivência da Juventude (CCJ). 30 minutos. Grátis. Livre.

14h – MESA REDONDA: FORMAÇÃO TEATRAL NO INTERIOR – Mediação: Alexandre Melinsky

Senac Rio Preto. 120 minutos. Grátis, sem necessidade de inscrição.

Sinopse da atividade: Encontro aberto em que professores e professoras de teatro atuantes em instituições e organizações rio-pretenses compartilham suas experiências e discutem, junto ao público presente, questões pertinentes à formação de artistas no interior paulista.

Alexandre Melinski é ator, diretor, iluminador e produtor. Coordenador de Arte e Cultura do Senac Rio Preto. Fundador e diretor do Grupo e da Produtora Mancomunados. Foi Coordenador do FESTARA – Festival de Teatro de Araçatuba por 12 anos, e do CENATA, Festival de cenas curtas. Dirigiu e atuou em vários espetáculos teatrais premiados por diversos festivais no Brasil. Curador e debatedor em Mostras e Festivais. Orientador do Projeto Ademar Guerra, da Secretaria de Estado da Cultura. Fundou e presidiu a ASSOCIATA – Associação dos Artistas Teatrais de Araçatuba.

19h – FEIRA DAS ROSAS – ECONOMIA FEMINISTA, CRIATIVA E SOLIDÁRIA – Coletivo Primavera nos Dentes (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. Grátis. Livre.

20h – ESPETÁCULO: RASTRUM – KD Cia de Dança (Potirendaba)

Praça das Rosas. 45 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Vestígio; pegada ou marca deixada ao caminhar. Qualquer sinal que fica quando algo passa; o que dá pistas do aparecimento… KD.

Em “Rastrum”, queremos revelar o percurso de nossas escolhas. Um mergulho que se expande, amplia e transmuta o corpo e a forma. Convidamos o público a revisitar suas histórias através da nossa e também fazer presente a beleza do hoje, desse encontro que viemos celebrar e dançar. Quais são suas resistências, pretensões, dificuldades, limites, paradoxos? Existe um fim?

Ficha técnica: Criação e concepção: todo o elenco | Direção: Frank Tavanti | Elenco: Amanda Rizzatto, Frank Tavanti, Kaka Maciel e Mayk Santos | Intérprete das canções: Fernanda Brito | Captação de vídeo, edição e fotografia: Fernanda Barban | Produção: Mayk Ricardo

Após espetáculo – APRECIAÇÃO POÉTICA, com Fabiana Monsalú (SP)

21h30 – PERFORMANCE: FRIDA – Vanessa Cornélio (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo). 10 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Coragem e vontade são forças criadoras, capazes de superar qualquer dificuldade. Frida nos ensina a viver incondicionalmente e com todas as forças, mesmo quando tudo parece desmoronar. Frida Kahlo é uma mulher e uma artista celebrada em todo o mundo, mas muitas vezes sua condição de mulher com deficiência é invisibilizada. Neste trabalho, busca-se refletir o processo de compreensão de que pessoas com deficiência também podem ser artistas, entre tantas outras facetas criativas e cotidianas. A performance traz aspectos da vida de Frida, colocados em perspectiva com a vida da atriz em cena.

Ficha técnica: Performer criadora: Vanessa Cornélio

22h – SHOW: ROSA CHOQUE – Márcia Morelli (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo). 80 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Violão e voz, como Márcia Morelli gosta, trazendo um repertório de canções interpretadas e compostas por mulheres e lembrando a importância de sua representatividade em todos os setores. A escolha se deve ao momento atual em que estamos: quarto lugar em feminicídio, grande número de mães solos, violência contra pessoas lgbtqia+. Morelli completa 40 anos de carreira como atriz, percussionista, intérprete e compositora da MPB.

DJ RESIDENTE Harlen Felix (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo).

SEXTA – 04/11

10h – SARAU MUSICAL (OCUPAÇÃO REGIONAL): VERSOS DE QUARENTENA – Duo Passarim (S.J. Rio Preto)

CCI – Centro de Convivência do Idoso – Bálsamo. 55 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Uma reverência à Palavra e a Memória, sobretudo, a Caipira. Apresentado pelo Duo Passarim, formado pelos artistas Glauco Garcia e Diego Guirado, o sarau leva esse nome porque foi concebido em situação de isolamento social em razão da pandemia da covid-19. Traz canções e causos que habitam o imaginário simbólico do universo caipira, como também poemas de Glauco Garcia que buscam desconstruir a imagem equivocadamente romantizada do caipira alienado e ingênuo, evidenciando a sua perspicácia e a sua sabedoria pé no chão diante dos temas da atualidade.

Ficha técnica: Intérpretes criadores: Glauco Garcia e Diego Guirado

10h – ESPETÁCULO INFANTIL (OCUPAÇÃO REGIONAL): MEMÓRIAS DE MACHADINHO – Cia. Bardos de Teatro (S.J. Rio Preto)

Projeto Arteiros das Águas – Ibirá. 40 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Livre inspiração sobre a infância do escritor Machado de Assis, o enredo se passa em um museu, em que o público é recepcionado pelo Dr. Simão Bacamarte, médico e acompanhante do escritor. O texto propõe um divertido encontro entre Machado e seu personagem, “O Alienista”. Para reviver o passado do escritor, as personagens manipulam um brinquedo (Boneco Machadinho), que representa Machado de Assis quando criança. Juntos, irão revisitar os tempos de menino do autor, suas origens e como se tornou um dos maiores escritores do mundo. A jornada se inicia no Morro do Livramento, no Rio de Janeiro, e tem parada obrigatória na África, terra dos antepassados de Machado. Em “Memórias de Machadinho”, o escritor orienta a juventude ao dizer: “…na vida, precisamos compreender de onde viemos para depois sabermos para onde iremos.”

Ficha técnica: Elenco: Linaldo Telles/Gustavo Bazzi | Concepção geral: Linaldo Telles | Técnica: Linaldo Telles e Gustavo Bazzi

11h e 14h – SARAU ITINERANTE: FALA PRETA – David Balt e Ícaro Negroni (S.J. Rio Preto)

CEU das Artes – Projeto Mundo Novo Paraíso. 30 minutos por sessão. Grátis. Livre.

14h – OFICINA: A INTERPRETAÇÃO NARRATIVA NO PROCESSO DE CRIAÇÃO TEATRAL – Gilson de Barros (RJ)

Senac Rio Preto. 120 minutos. Grátis, sem necessidade de inscrição. 16 anos.

Sinopse da atividade: O ator Gilson de Barros apresenta seu processo de trabalho com o grande diretor Amir Haddad. Os dois artistas estudam a obra “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa, e utilizam técnicas de interpretação narrativa como ferramenta de transposição da prosa roseana para uma linguagem cênica. O primeiro produto dessa experiência é a peça “Riobaldo”. Na oficina, Gilson irá compartilhar com as pessoas participantes alguns elementos deste processo, que também está sendo aplicado no segundo espetáculo em elaboração pela dupla, com estreia marcada para abril de 2023, em São Paulo.

Gilson de Barros estudou na UNIRIO e possui bacharelado em Artes Cênicas. Atuou em mais de 20 peças, tais como “Bolo de Carne”, de Pedro Emanuel; “Murro em Ponta de Faca”, com direção de Augusto Boal; “Ópera Turandot”, com direção de Amir Haddad; “Os Melhores Anos de Nossas Vidas”, com direção de Domingos de Oliveira e “Da Lapinha ao Pastoril”, com direção de Luís Mendonça. Recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Teatro SATED/RJ (1980). Como gestor, foi um dos criadores do projeto de Lonas Culturais, que visa horizontalizar o acesso à cultura nos subúrbios do Rio de Janeiro. Atualmente é gestor do Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas, em Santa Teresa, RJ. Dirigiu, entre outros, os espetáculos “Assédio Moral – Uma Comédia” e “Nossa Senhora Aparecida – O Musical”, superprodução com nove atores, seis bailarinos e quatro músicos, além da atriz Wilma Melo, hoje prêmio Shell de Melhor Atriz.

19h – FEIRA DAS ROSAS – ECONOMIA FEMINISTA, CRIATIVA E SOLIDÁRIA – Coletivo Primavera nos Dentes (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. Grátis. Livre.

20h – ESPETÁCULO: PAUBRASÍLIA – c.i.a.3 (Araçatuba)

Sede Cênica. 40 minutos. Grátis, distribuição de senhas no local 1h antes. 16 anos.

Sinopse: Através do contexto social das personagens, o espetáculo levanta temáticas que retratam a relação sociedade/lixo, e a experienciação vivida por aqueles que vivem à margem. Darluz e Muribeca trazem à tona sua exposição e vulnerabilidade a violências físicas e psicológicas como consequência da classificação social e econômica que ocupam. Duas personagens. Duas histórias. Uma maioria… predestinada ao mínimo.

Ficha técnica:

Direção, trilha e concepção artística: Fernando Tavares | Assistente de direção: Geovanna Leite | Elenco: Fernando Tavares, Geovanna Leite e Igor Palmieri | Iluminação: Valtemir Jurca | Produção, operação de luz e som: Larissa Lacava | Texto: Contos “DarLuz” e “Muribeca”, do escritor Marcelino Freire

Após espetáculo – APRECIAÇÃO POÉTICA, com Fabiana Monsalú (SP)

21h30 – PERFORMANCE: GAIA COM BRASIL – Gaia do Brasil (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas. 15 minutos. Grátis. Livre.

Sinopse: Gaia do Brasil é uma drag queen e traz ao palco performances que retratam a cultura brasileira através do carimbó, São João e sua paixão pela música nacional.

Ficha técnica:

Artista performer: Gaia do Brasil

22h – SHOW: PSICORANGE – META MORFOSIS – Psicorange (S.J. Rio Preto)

Praça das Rosas (Palco Alternativo). 90 minutos. Grátis. 16 anos.

Sinopse: Recomeçar é preciso. E essa história acontece em tempo real. Aqui, agora, através da música. A música muda o tempo, nos faz instrumento e desfaz a distância. Pra melhor, pra bem melhor.

Ficha técnica:

Elenco: Andressa Maria (vocal e bateria), Cairo do Mato (percussão, contrabaixo e voz), Lissa Uriel (voz, teclado e guitarra) e Murilo Gussi (voz) | Figurinos: Wilma Drag | Fotos: Jorge Etecheber e Priscila Beal | Produção: Julia Lisboa e Murilo Gussi

Marcia Bernardes
Marcia Bernardeshttps://ftnews.com.br
Jornalista, 20 anos de experiência, tendo passado por diversas redações de mídia impressa em Catanduva e São José do Rio Preto. Atuou nos principais veículos do Noroeste Paulista, incluindo o jornal Diário da Região. Jornalista de formação, designer por amor.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

POSTS POPULARES