31.7 C
Catanduva
sábado, março 2, 2024
spot_img
InícioCatanduvaSetembro Amarelo é mês de prevenção ao suicídio; em Catanduva, cinco casos...

Setembro Amarelo é mês de prevenção ao suicídio; em Catanduva, cinco casos foram registrados este ano

Dados do DataSUS, plataforma que concentra informações relativas à saúde no Brasil, revelam que as mortes por suicídio entre 2011 e 2020 aumentaram 35% no país. Em Catanduva, mais de 140 tentativas de suicídio foram registradas no ano passado. Este ano, cinco pessoas morreram.

Para tentar reduzir os casos, foi criado o CVV (Centro de Valorização da Vida), que atua com apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuita. Os contatos com o CVV são feitos pelo telefone 188 (24 horas e sem custo de ligação) ou pelo site www.cvv.org.br, por chat e  e-mail. 

Em Catanduva, o CVV conta com um Posto de Atendimento no Terminal Rodoviário João Caparroz.

“A ideia é que este posto comece a funcionar neste mês de setembro”, explica a psicóloga e presidente da Aviva, Ivete Casseverini.

Setembro Amarelo

Estamos no Setembro Amarelo, mês de prevenir e reduzir os números de suicídios. Em todo o mundo, são cerca de um milhão de casos por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde, se somadas também as subnotificações. No Brasil, são 14 mil. 

Para o coordenador da Câmara Técnica do Conselho Federal de Medicina,  Salomão  Rodrigues, esse é um problema de saúde pública.

“A abordagem tem que ser direta, não fazer uma abordagem disfarçada. Chegar para o adolescente ou idoso, para aquela pessoa que você está identificando como um potencial suicida e perguntar o que está acontecendo com você? O que não está bom? Como eu posso te ajudar? Aproximar. Oferecermos ouvidos para essas pessoas. Ai não precisa ser um profissional inicialmente. Depois de identificado tudo, ai sim o psiquiatra, o médico, deve ser o primeiro profissional a ser procurado.” 

Entre os sinais estão alterações de humor, frases do tipo “a vida não vale a pena”, tristeza excessiva. É comum também, que os casos estejam relacionados a transtornos mentais, como depressão e ansiedade, e ao uso de drogas.

Leila Heredia do Centro de Valorização da Vida avalia que as pessoas estão mais abertas a falar sobre o assunto.

“No setembro amarelo, as pessoas veem isso , que é possível falar, que é possível buscar ajuda, que a saúde mental pode ser uma doença e deve ser tratada como qualquer outra… Porque todos nós em algum momento da nossa vida, outros mais, outros menos, já viu que não estava tudo legal. “

Quer saber mais? Acesse setembroamarelo.com

E se você conhece alguém que precisa de ajuda o SUS oferece ajuda de graça. O número do CVV é o I88. 

Mariana Lachi
Mariana Lachi
Mariana Lachi - Jornalista com formação em Comunicação Social e Pedagoga. Experiência em um pouquinho de tudo: TV, rádio, revista, assessoria de imprensa e jornal impresso. Atua há mais de 20 anos com mídia.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

POSTS POPULARES