21.3 C
Catanduva
terça-feira, abril 16, 2024
spot_img
InícioRegiãoSão José do Rio PretoOperação com drone flagra sete casos de descarte irregular em Rio Preto

Operação com drone flagra sete casos de descarte irregular em Rio Preto

Fiscalização feita pela Secretaria de Serviços Gerais de Rio Preto na última semana voltou a flagrar descarte irregular. Durante a “Operação Descartes”, sistema de filmagem com uso de drone flagrou sete veículos – seis carros e uma motocicleta. Também houve flagrante de pessoas colocando fogo em áreas próximas.

A fiscalização foi realizada durante três dias, com o apoio de policiais ambientais que integram o projeto Atividade Delegada. O secretário Ulisses Ramalho, que acompanhou as operações, afirma que “as imagens dos equipamentos eletrônicos de alta definição não deixam dúvidas e mostram visível e claramente as placas dos veículos, bem como os motoristas fazendo o descarte irregular em áreas proibidas”.

As imagens captadas de uma altura de aproximadamente 30 metros mostram uma Montana preta, um Ford Focus branco, um Fiat Strada prata, um Fiat Uno cinza e um Gol prata. Neste último caso, o motorista realiza descartes duas vezes no mesmo dia e local. Em relação à moto Yamaha preta, é possível observar que o condutor descarta fios de cobre e ainda põe fogo no material.

No primeiro dia da operação, além do descarte observado pelo drone, duas pessoas foram vistas colocando fogo em cerca de oito quilos de fios de cobre no meio da área. Os policiais ambientais correram até o local onde estava ocorrendo o fogo nos fios, abordaram as duas pessoas e deram o flagrante.

Os envolvidos foram levados para o plantão policial onde foram autuados, registrado boletim de ocorrência e soltos em seguida, mas ficarão à disposição da justiça para novos esclarecimentos. O material ficou apreendido no depósito da delegacia que irá apurar as informações.

Todos os vídeos e fotos das imagens dos veículos flagrados foram encaminhadas para o departamento de fiscalização da Secretaria de Serviços Gerais que, com a ajuda dos arquivos da Secretaria de Trânsito. “Faremos os levantamentos dos proprietários para encaminhar notificação e multa”, esclarece Carlos Savazo, chefe do departamento de fiscalização. que escalou os fiscais e também acompanhou a operação.

As multas para quem joga lixo e/ou entulhos em locais proibidos variam de 10 a 100 UFM – Unidade Fiscal do Município, que hoje vale R$ 73,30 a unidade. Os valores correspondem a 10 UFM R$ 733,00 (setecentos e trinta e três reais) e 100 UFM R$ 7.330,00 (Sete mil, trezentos e trinta reais).

Na última vez que a Secretaria de Serviços Gerais usou equipamentos eletrônicos para ajudar na fiscalização de sujões praticando descartes irregulares em terrenos baldios e áreas públicas proibidas foi em operações pontuais de 2019 até 2022.

Foram enviadas na época 23 notificações e aplicadas 22 multas por descarte irregular. O total das notificações somou R$ 454.542,40 e o valor total das multas, R$ 203.019,70.

Atualmente são 88 as áreas de descartes proibidos nas 10 regiões da cidade. Diariamente os funcionários de serviços de limpeza fazem a retirada de entulhos da construção, podas e galhos de árvores e lixo orgânico nessas áreas.

“Dessa vez estamos ampliando a equipe para realizar o combate nessas operações sigilosas que agora contam com a colaboração de fiscais do município, além do Major Daleck, Capitão Mioransi e dos policiais do 4º Batalhão da Policia Militar Ambiental”, afirma Ulisses.

As operações deverão continuar ocorrendo de surpresa em dias, locais e horários definidos pela equipe nas dez regiões da cidade e devem contribuir para a redução de descartes em locais proibidos, completa o secretário Ulisses Ramalho.

Atividade Delegada

O Programa de Atividade Delegada, com a presença da Polícia Militar Ambiental, é desenvolvido por meio de um convênio firmado no ano passado entre a Prefeitura e o governo do Estado. Por meio do programa, os policiais podem trabalhar nos dias em que não estão em serviço pelo Estado, atendendo o município em escala especial, com todo o aparato que utilizam em suas funções.

Com a Polícia Militar Ambiental, os trabalhos que envolvem além da Secretaria de Serviços Gerais, a de Meio Ambiente e Urbanismo, tiveram início em fevereiro último.

Mariana Lachi
Mariana Lachi
Mariana Lachi - Jornalista com formação em Comunicação Social e Pedagoga. Experiência em um pouquinho de tudo: TV, rádio, revista, assessoria de imprensa e jornal impresso. Atua há mais de 20 anos com mídia.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

POSTS POPULARES